Início » Campo, Destaque

NÃO COMEMOS PAPEL NEM CARVÃO – CARTA DO SEMINÁRIO MONOCULTURA DE EUCALIPTO

7 dezembro 2012 Um comentário

O Fórum de Entidades e Movimentos Sociais do Sudoeste da Bahia, soma-se a representantes das regiões Sul e Extremo Sul do estado da Bahia, movimentos sociais do Alto Rio Pardo – MG, estudantes e pesquisadores, todos, participantes do Seminário Monocultura de Eucalipto, realizado nos dias 29 e 30 de novembro de 2012, em Vitória da Conquista, para tornar público que:

 

As plantações de eucalipto e outras árvores exóticas ocupam atualmente 6,5 milhões de hectares em todo Brasil. Nas últimas décadas, o cultivo dessas espécies expandiu-se rapidamente pelo campo, propagandeado como benfeitoria ambiental, quando em verdade significa uma violenta apropriação da natureza pelas siderúrgicas e empresas de celulose. E mais grave, o capital estrangeiro, associado ao nacional, já planeja produzir no Brasil combustível para automóveis a partir de eucaliptos, ameaçando agravar a crise ambiental e alimentar da humanidade.

 

A Bahia, em 2010, passou a ser o terceiro maior produtor nacional de eucaliptos atingindo a marca de 658 mil ha de área plantada. Nesse contexto, Vitória da Conquista e os municípios vizinhos, estimulados pelo Pólo Siderúrgico de Minas Gerais, estão substituindo as atividades agropecuárias em seus tabuleiros pelas plantações de eucaliptos, que já somam mais de 35 mil hectares somente em Conquista, 30 mil ha nos municípios de Cândido Sales e Encruzilhada e outros 20 mil hectares estimadas para Barra do Choça, Cordeiros, Piripá, Planalto e Poções, totalizando assim 85 mil hectares na região. Além disso, o governo baiano autorizou a Veracel Celulose plantar mais de 107 mil hectares, sendo metade desse total em municípios do Sudoeste (Encruzilhada, Itapetinga, Macarani, Maiquinique, Itarantim e Potiraguá), o que afetará fortemente a bacia do rio Pardo e seus afluentes. Além disso, no mesmo rio Pardo outros impactos advirão com a programada construção de barragens.

 

As grandes plantações de eucaliptos já vêm afetando diretamente os moradores do campo, a fauna, as nascentes e os mananciais da região, diminuindo a oferta hídrica e contaminando o solo e a água com venenos (em cada hectare de eucalipto, por ano, chega-se a lançar 9 litros de round up). Essas plantações de madeira vêm ocupando os solos que antes eram utilizados para produzir comida, expulsando as famílias camponesas da terra, causando a redução de alimentos e a consequente elevação dos seus preços. Além disso, está secando e contaminando lagoas e cursos d’água, indispensáveis à vida no campo.

 

O que a Sociedade Conquistense e os municípios do Planalto desejam para o seu território? Destinar suas terras para a produção de alimentos ou destiná-las às empresas de carvão e celulose? Nesse Seminário, a sociedade civil regional discutiu ações necessárias para impor limites e restrições às plantações de eucalipto, a exemplo das leis municipais já aprovadas em Itarantim e Maiquinique. Assim, o Fórum de Entidades e Movimentos Sociais do Sudoeste da Bahia vem conclamar toda sociedade civil e poderes públicos regionais contra essa nociva monocultura de árvores, que ameaça a região, e a fortalecer a resistência socioambiental para assegurar a Segurança Alimentar e Nutricional da população, resguardando os interesses coletivos e a defesa de um meio ambiente limpo e equilibrado para as próximas gerações.

 

Vitória da Conquista, 30 de Novembro de 2012

FÓRUM DAS ENTIDADES E MOVIMENTOS SOCIAIS DA REGIÃO SUDOESTE DA BAHIA (CEAS, MST, MPA, MTD, CETA,CPT, Insituto Mata de Cipó, Levante Popular da Juventude, Consulta Popular e Projeto de Extensão – UESB)

FÓRUM SÓCIO AMBIENTAL DA REGIÃO SUL E EXTREMO SUL DA BAHIA

CENTRO DE ESTUDOS E PESQUISAS PARA O DESENVOLVIMENTO DO EXTREMO SUL /BA – CEPEDES

COORDENAÇÃO ESTADUAL DE ACAMPADOS, ASSENTADOS E QUILOMBOLAS DO ESTADO DA BAHIA – CETA

MOVIMENTO SEM TETO DA BAHIA – MSTB

PROJETO GEOGRAFAR/UFBA

MOVIMENTO DOS ATINGIDOS DE BARRAGEM – MAB

CENTRO ACADÊMICO DE BIOLOGIA RODA VIVA – UESB

DIRETÓRIO CENTRAL DOS ESTUDANTES – DCE – UESB

COLETIVO FEMINISTA TIETA DO AGRESTE – Município de Vitória da Conquista

CENTRO ACADÊMICO DE DIREITO RUI MEDEIROS – UESB

NUCLEO DE ASSESSORIA JURÍDICA ALTERNATIVA – NAJA – UESB

PASTORAL DA JUVENTUDE

PASTORAL DA CRIANÇA

AMIGOS DA NATUREZA – ANA – Município de Maiquinique

GAZETA MAIQUINIQUENSE – Município de Maiquinique

ASSOCIAÇÃO AMIGOS DE ITARANTIM – Município de Itarantim

CAMPANHA PERMANENTE CONTRA OS AGROTÓXICOS E PELA VIDA – BA

Associação de Advogados de Trabalhadores Rurais do Estado da Bahia – AATR

ASSOCIAÇÃO PROJETO VERDE – Maiquinique

CONSELHO REGIONAL DE COMUNIDADES QUILOMBOLAS

 

ASSOCIAÇÃO DOS PRODUTORES DE CACHAÇA – Itarantim

Um comentário »

  • Jéssica Dias Faria said:

    Então ótimo, não comemos nem papel nem carvão, mas se continuarmos a matar nossa amazônia com árvores não reflorestadas vamos beber o que?