Home » Campo, Gênero, Juventude, mais recentes

Intercâmbio Sul-Sul em Irecê

11 novembro 2010 No Comment

De 03 a 06 de novembro de 2010, uma delegação de 15 pessoas formada por acampad@s do acampamento Lindaura Lacerda, Encruzilhada – BA, técnicos e lideranças do MPA (Movimento dos Pequenos Agricultores) e assessores do CEAS participou do intercâmbio sul-sul em AGROECOLOGIA em Irecê. O intercâmbio é uma parceria entre o Instituto de Permaculturas em Terras Secas, IPÊTERRAS (Irecê – BA), o Centro de Agricultura Alternativa Vicente Nica, CAV (Turmalina – MG),  CEAS e da ONG suiça E-CHANGER.

O objetivo deste encontro era descobrir outras realidades e compartilhar experiências e práticas de produzir em terras do semiárido. A programação deixou um amplo espaço para visitas e encontros com agricultor@s na região de Irecê, todas com foco da preservação – recuperação de nascentes e terras degradadas. O intercâmbio que reuniu agricultores, lideranças, técnicos e assessores das 03 regiões e que contou com o apoio da Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável do Município de Irecê, terminou no dia 06 com um seminário em Agroecologia que com a participação de mais de 150 pessoas.

Abrimos um espaço para depoimentos:

“Todas essas árvores foram plantadas – chega de falar em desmatamento para produzir, aqui mostra que o contrário é possível, não precisa desmatar para produzir! Se eu corto um pé de arvore, tenho que replantar quatro para preservar o ambiente. Índia é um exemplo para tod@s nós: é guerreira, de toda madeira conhece o nome e como usar, fazer remédios. Temos que conviver mais com a nossa madeira. Foi muito importante enxergar isto. O futuro da gente é por aí, ainda temos muitos anos de luta, vejo que a terra mãe é recuperável, que dá tudo que planta. Se o agronegócio ganha, os nossos bisnetos ficam sem água e nenhum pau para encostar.”

Dona Lourdes, acampamento Lindaura

“Fico feliz em conhecer todo este trabalho de recuperação das nascentes e solos, dá um gás a mais a nossa luta no Lindaura, pois temos 2350 ha em solos degradados, fruto de uma exploração com monocultura de pasto durante anos. A recuperação das nossas nascentes é uma preocupação forte e constante. Como recuperá-las? Será possível? Fiquei impressionado com os resultados obtidos pelo trabalho solitário desta família – imagina o que podemos fazer em coletivo! Nós temos condições, queremos e podemos! Ainda me pergunto qual seria a melhor forma de casar “produção” e “preservação”.

Adenilson (liderança MPA, acampamento Lindaura)

Já no dia seguinte Adenilson colocou:

“A caminhada de hoje foi muito boa, me tirou algumas dúvidas ainda presentes ontem. Agora estou ainda mais convencido que a filosofia do modelo dominante que proclama que TEM que destruir para poder produzir, é um grande erro, um engano – mentira. A roça daqui é a prova do contrário, é possível produzir, muitas coisas consorciadas em harmonia com as condições do contexto, preservando o meio ambiente, a água e os solos.”

Boa Ventura (STR, Turmalina, MG).

Confiantes que as sementes trocadas e plantadas neste intercambio encontrem agora a mãe terra fértil e a água da vida para brotar, crescer, ficar forte e produzir um monte de sementes.

Vitória da Conquista, 09 de novembro 2010

Bruno Kull

Leave your response!

Add your comment below, or trackback from your own site. You can also subscribe to these comments via RSS.

Be nice. Keep it clean. Stay on topic. No spam.

You can use these tags:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

This is a Gravatar-enabled weblog. To get your own globally-recognized-avatar, please register at Gravatar.