Edição 247 do Cadernos do CEAS discute a questão dos refugiados no mundo

Camponesas/es articulam comercialização de alimentos agroecológicos em Encruzilhada-BA
15/12/2019
Comunicado público da CPAL à opinião nicaraguense e à comunidade internacional
08/02/2020

Na edição de número 247 da revista Cadernos do CEAS foi abordada o problema global e humanitário dos refugiados, trazendo 9 artigos sobre a questão.  Os trabalhos analisam e debatem questões diversas dentro deste tema: o conceito jurídico das pessoas reconhecidas como refugiadas e sua evolução ao longo do século XX; a situação dos migrantes e refugiados no mundo frente a construções culturais e identitárias, tomando como objeto de análise um caso real; a política migratória do governo Bolsonaro que retoma o paradigma da segurança nacional (Estatuto do Estrangeiro de 1964) em oposição ao modelo garantidor dos direitos humanos (Nova Lei de Migração de 2017); a feminização das migrações, analisando as múltiplas violências que afetam a mulher migrante e refugiada, além da violência sexual e de gênero que provoca o fenômeno da migração;  artigo sobre gênero e democracia que traz análises a respeito do aprimoramento das ações ligadas à perspectiva de gênero para a assistência consular; uma sequência de três artigos que discutem a questão urbana (política de saneamento, programa de habitação e interesses corporativos) com ênfase na cidade de Salvador e ainda as condições gerais de produção na compreensão dos problemas urbanos. Por último, a edição traz ainda uma análise sobre os efeitos da EBSERH na gestão dos Hospitais Universitários Federais.

“Com o intuito de discutir criticamente aportes diversos, soluções globais que se relacionam e até lançam luzes sobre questões e desafios sociais caros à realidade brasileira e/ou nordestina, a presente edição dos Cadernos do CEAS aporta contribuições importantes que nos ajudam a ler, com lentes de maior alcance, aspectos da nossa crise migratória atual e os percalços que passam as políticas públicas, bem como o reordenamento dos grandes centros urbanos, como o da cidade de Salvador, mas que se aplicam, considerando as respectivas peculiaridades, a qualquer outra grande cidade nordestina”.

Confira aqui na íntegra esta edição, também disponível para download.

Please follow and like us:

Os comentários estão encerrados.

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial
Facebook
Twitter
YouTube
Instagram
WhatsApp